Valores

Valores que unem artistas e espaços que participam no Festival Independente

_Pela valorização do tango como um fator de identidade cultural e regional
Vinculação e intercâmbio entre as cidades que são pólos geradores de tango. Inclusão explícita do ensino de tango, da milonga e da cultura nacional nas escolas

_Pela visibilidade de uma expressão cultural desenvolvida e criada neste e para este tempo
Circuito de palcos que funcionem ao longo do ano, não só em agosto, como resultado de uma política pública que acompanhe a nova realidade do gênero. Apoio às iniciativas de autogestão que subsistem e criam tango durante todo o ano – e não apenas para o FIT

_Pela ampliação de fronteiras estéticas, estilísticas e de formas de produção e autogestão
Por um forte incentivo às escolas populares de tango, escolas de música popular e conservatórios onde se formam os novos artistas. Apoio para os Festivais de Tango Independentes nacionais, estaduais e de bairro, que se multiplicaram desde março de 2010 com a primeira edição do FTI

_Pela promoção e divulgação do tango contemporâneo em nível nacional e regional por meio do desenvolvimento e da implementação de políticas públicas de cultura
Para o incentivo às produções locais de difusão. Não à clausura de locais de eventos. Não às barreiras impostas ao desenvolvimento da arte nos espaços públicos. Exigimos o debate do Projeto de Lei Nacional da Música e o retorno da Lei de Reconhecimento da Atividade Musical, vetada pelo Governo da Cidade de Buenos Aires, após ser aprovada por uma maioria no Legislativo.

Post to Twitter

Deja un comentario